Retrospectiva 2021

Categoria: Blog Publicado: Domingo, 02 Janeiro 2022 Escrito por Helio Loureiro

Esse ano eu consegui montar uma retrospectiva logo no ínicio do ano.

Infelizmente foi um final de ano difícil pra mim com a morte do nosso gato de estimação bem no final do ano.  Mas... a vida segue.

Eu tinha colocado uma meta de escrever semanalmente aqui no site.  Não cheguei a alcançar a meta semanal mas definitivamente escrevi muito mais que nos anos anteriores.  É sempre bom adicionar conteúdo.

Montando o vídeo de retrospectiva eu percebi o quão pouco tirei fotos ou fiz vídeos durante 2021.   Não sei bem explicar o motivo, mas eu mesmo não lá muito de fazer selfies.   E mesmo minha conta no Instagram é mais pra postar fotos em uso a câmera e dou um tratamento melhor que as imagens feitas pelo telefone.

Eu não coloquei uma meta pra participar de eventos com palestras, mas acabei até que fazendo bastante.  Foram 4 palestras em 3 eventos:

E ainda fui parte da organização da PyCon Suécia.  Não fiz nenhuma palestra lá, mas organizar o evento tomou bastante meu tempo e dedicação.   Apareceu uma foto minha nos créditos finais, o que já é suficiente.

Não bastasse isso ainda fui organizador da hackathon global de outono na empresa.  Em geral temos 2 por ano.  E como é algo interno, eu não fiz muita propaganda fora da empresa.  Mas foi mais uma coisa pra eu ter de trabalhar.

Eu acho que desse lado pessoal foi um ano muito bom.   Espero conseguir fazer as mesmas coisas agora em 2022.  Um pouco menos dessa vez porque quase tudo caiu junto entre meados de outubro e meados de novembro.  Inclusive escrevi até um artigo pra REL (Revista Espírito Livre) que não foi publicado.  Eu provavelmente vou publicar aqui em algum momento.

Agora vamos às estatísticas do site.  Pra começar uma bela surpresa que só vejo quando faço essa restrospectiva:

 

Eu fiz alguma besteira no site e o Google analytic parou de funcionar no início de outubro.   E não tenho ideia do que possa ter sido.  Mas quando acabar de escrever aqui eu já vou dar uma olhada.  Sendo estatísticas, vamos chutar que é uma amostra grande o suficiente pra estimar o restante em termos de porcentagens.

Em relação aos navegadores que mais acessaram:

Chrome já na frente de longe com Firefox em segundo.  Eu fiquei feliz de ver o Firefox ainda relevante por aqui.

E relação aos países que mais acessaram:

Posso assumir que os 1.34% de acesso a partir da Suécia seja eu mesmo.

 Em relação aos sistemas operacionais de computadores (porque tem uma categoria separada para mobile):

Novamente Windows em primeirão.   Acho que pela primeira vez abaixo dos 50%, com android e Linux chegando à uns 42%, que já deixa equilibrado em Linux em Windows.   Não me perguntem o porquê do Analytics mostrar separado.

E finalmente os sistemas operacionais mobile:

Quase mesma estatísticas mundial de 85% de equipamentos Android (telefones e tablets).   Não muita surpresa aqui.  E nada de Windows phone felizmente.  Pelo menos na área mobile o povo aprendeu.

E esse foi o resumo do meu 2021.   Vou tentar manter o ritmo de 1 artigo ou mais por semana esse ano também.  Afinal escrever tem de ser uma rotina ou do contrário as redes sociais roubam todo o meu tempo livre.

Feliz 2022!

Sessão de perguntas e resposta com Linus Torvalds na DebConf 14

Categoria: Blog Publicado: Quinta, 23 Dezembro 2021 Escrito por Helio Loureiro

Acho o Linus Torvalds genial.  Não que seja um cara  que criou um kernel, mas é um cara que criou um sistema de crontrole de versão de software, o GIT, em 2 semanas.  Ou seja, ele é genial.

E ele apareceu na DebConf 14, que ocorreu faz poucas semanas, em Portland, EUA, pra falar um pouco.  Foi uma sessão de perguntas e respostas.

O que esperar de alguém que criou o kernel de um sistema operacional?  Perguntas técnicas de altíssimo nível?  Um semi-deus falando?  Escovação de bits?

Pois o grupo de desenvolvedores de Debian (ou seria "empacotadores") mostrou que não.  De perguntas técnicas a perguntas idiotas.  Sim, idiotas.  Debian é um projeto de distro aberta.  Isso não significa uma supremacia em inteligência.  Tem muita gente que se preocupa com "comunidade", com o Linus chamando de idiota alguém que mereça.  

Mas vamos falar um pouco sobre tudo que foi dito durante a DebConf 14.  Claro que não na ordem em que foi apresentado, mas na que me lembro (não, não vou ficar vendo o vídeo novamente e escrevendo notas sobre o mesmo pra descrever aqui.  Deal with it).

Systemd

Linus foi perguntado e responde sobre o famigerado "systemd".  É bom?  É ruim?  Eu concordo muito com ele, que é uma grande inovação.  Endereçou vários aspectos que eram deficitários no Unix por mostivos históricos de design.  É melhor?  Essa é a grande pergunta.  Essa inovação trouxe junto uma complexadade que quebrou com o velho e bom KISS (Keep It Simple Stupid).  Mas sempre existe o dilema do "manter o velho" ou "quebrar tudo e ir pro novo".  No momento, é algo interessante, que parece promissor, mas ainda falta muita coisa pra melhorar, como um tempo de resposta menor na lista de bugtrack.

Eu pessoalmente não estou convencido da melhoria do systemd.  Boot mais rápido?  Meu laptop reboota com um kernel novo, sincronizado via git, a cada 30-45 dias.  Boot rápido realmente não importa pra mim nesse caso.

Linus usa Debian?

Esse foi um ponto interessante, pois ele deixou claro que não usa, nem pretende usar.  Não que Debian seja bom ou ruim pra ele, mas ele basicamente usa um sistema de desenvolvimento de kernel.  Isso significa um sistema que depois da instalação esteja pronto pra seu uso, sem muita firula, nem ambientes gráficos dos melhores.  Apenas gcc e kernel.  Uma coisa que o incomoda é o fato de precisar gerar um pacote DEB pra ter o kernel em seu lugra pra testar (provavelmente se referindo ao kernel-package).  Para ele, uma distro tem de prover um sistema rápido para usar "make; make install" e poder testar.

Faz anos que não uso "make; make install" pra instalar o kernel.  Sempre uso o kernel-package pela facilidade de ter um pacote pronto e gerenciável.  Então não sei nem o que dizer sobre essa reclamação do Linus.  Claro que o uso dele é bem específico.

Linux no desktop

Linus disse que ainda sonha com a dominação do Linux no Desktop, assim como já domina os ambientes de servidor e de mobile.  Mas que nesse ponto não depende do kernel, mas das distros.  Elas que preparam o sistema pros usuários.  E disse que os exemplos que ele enxerga com futuro nessa linha são os chrome books (chrome OS) e... Ubuntu.  Qual usuários ele se refere?  Ele deixa claro que não os usuários como nós, que já usam Linux, mas os iniciantes como crianças, idosos, etc, ou seja, pessoas que não são da área de TI.  Esse são o foco que as distros têm de ter pra conseguir dominar o Linux no desktop.

Outro ponto que comentou foi em relação à steam, que a mesma está trazendo um visão de Linux desktop para os usuários.  Infelizmente isso exige que ela distribua grandes pedaços de binários (linkados estaticamente) por conta da grande variedade de distros, cada uma com sua visão de sistema.  Essa diversidade, por ser um ponto forte por um lado, é um ponto fraco no ponto de distribuição de binários diretamente pros usuários.

GPLv2 vs GPLv3

Nesse ponto ele comenta que decidiu não ir pelo caminho da GPLv3 pelo fato dela "exigir" a liberdade de quem usa o código.  A GPLv2 permite uma troca de liberdades: eu permite que use meu código, se o melhorar, peço que devolva essa melhoria.  Então a GPLv2, ao seu ver, é muito mais flexível e perto de uma licença BSD de uso.  Já a GPLv3 exige que ao usar um código livre, o mesmo seja disponibilizado.  Esse pequeno argumento muda o conceito de trocas, que tanto Linus preza.  Então preferiu manter com a GPLv2 mas foi enfático em dizer que a GPLv3 não é ruim, mas não se adequa ao que ele quer pro kernel Linux como modelo de desenvolvimento.

Houve uma certa reclamação quanto a FSF e a forma que mudou a GPLv2 pra GPLv3, mas eu acho melhor deixar essa parte da discussão as puritas dos assuntos de liberdade.  Por enquanto sigo a recomendação do Linus que disse que se quer falar de liberdade, melhor a EFF que a FSF.

 Atitude do Linus numa comunidade

É conhecido o fato do Linus Torvalds ter uma certa aversão a aparecer em público.  O motivo?  Ele não é uma das melhores pessoas do mundo.  Não luta contra fome ou coisas do tipo.  É um geek, um nerd, e como tal, tem seus momentos de explosão temperamental.  Infelizmente esses momentos ficam gravados em listas e mails.  Quando estão pessoalmente com ele, muitas das pessoas da audiência o julgam por seu comportamento, esperando dele algum tipo de de atitude mais "magnânima", mais em "pról da comunidade".  Mas somos todos humanos, demasiados humanos, já dizia Nietzche.

Na DebConf, que não tem uma comunidade especificamente técnica, mas alguns desses goiabas que gostam do assunto político ao invés do técnico, então isso não fugiu do roteiro.  Como sempre, um tipo de "saia justa" pra ele, que se saiu muito bem (ao meu ver) com um "respeito não é algo que se ganha, mas que se conquista".  E isso é especialmente quando alguém tenta mexer no kernel que ele criou.

Outras assuntos

Linus comentou sobre outras coisas, como SELinux, que usa um framework de segurança no kernel (e que de acordo com ele torna tudo mais lento), mas o melhor é assistir ao vídeo.

http://meetings-archive.debian.net/Public/debian-meetings/2014/debconf14/webm/QA_with_Linus_Torvalds.webm

Mastodon Mastodon
We use cookies

We use cookies on our website. Some of them are essential for the operation of the site, while others help us to improve this site and the user experience (tracking cookies). You can decide for yourself whether you want to allow cookies or not. Please note that if you reject them, you may not be able to use all the functionalities of the site.