Países considerados os mais felizes do mundo escondem problemas graves - a identidade

Categoria: Suécia Publicado: Quinta, 23 Dezembro 2021 Escrito por Helio Loureiro Imprimir

Caso não tenha lido os artigos anteriores:

Como bom brasileiros, nascidos na burocracia, estamos acostumados a ter vários números pra diferentes finalidades.  CPF pra coisas relacionadas com imposto, RG pra identidade, certificado de reservista, cartão eleitoral, etc.  E cada um com um número qualquer que temos em geral de memorizar.

Na Suécia sua vida toda é ligada ao que é chamado de "personnummer", ou "personal number" em inglês, ou número pessoal na boa e velha língua tupiniquim.  Ele é composto de <ano em que nasceu><mês em que nasceu><dia em que nasceu>-<4 dígitos aleatórios>.  Algo como YYYYMMDD-ABCD.  Simples assim.

O ano de nascimento pode ser usado tanto o formato YY como YYYY.   Nos documentos aparecem no formato YY, mas quando recebe seu número, via carta, ele vem no formato do ano completo com 4 dígitos, YYYY.

E com esse número baseado no seu aniversário você faz tudo: vota, tira carteira de motorista, faz o imposto de renda, vai ao médico, contrata serviços pelo telefone, etc.

De posse do número, você pode tirar a sua carteira de identidade de estrangeiro residente.

A moçoila bonita da foto nasceu em 12 de junho de 1970 de acordo com seu "personnummer".   Existe um número gigantesco no topo à esquerda, o "kortnummer", que é "número do cartão", mas esse não é usado pra nada.

O mesmo formato aplica-se pra identidade de quem é cidadão sueco.

A diferença dessas identidades é que a primeira é emitida pelo skatteverket, órgão responsável por cobrar os impostos e também de registro civil, e o segundo, pela polícia.   O cartão emitido pelo skatteverket tem mais a aparência e formato de um cartão de crédito comum, enquanto que a carteira emitida pela polícia é um papel plastificado num plástico rígido.

Existe também a carteira de motorista, emitida pelo trafiksverket, órgão responsável controle e regulamentação de tráfego.

A carteria de motorista, körkort em sueco (kör - dirigir, kort - cartão), tem a data de nascimento no campo 3 e o número pessoal no campo 5, que mostra a mesma data em formato invertido e mais os 4 últimos dígitos aleatórios/verificadores (parece que os 2 últimos são os verificadores).  Aqui dentro da Suécia a carteira de motorista serve como identidade.   Tanto que só ando com ela na carteira.

Nas viagens que fiz aqui pela europa, a maioria dos aeroportos aceitou só a carteira de motorista pra embarcar.  Exceção foi o aeroporto internacional de Lisboa, que exigiu meu passaporte.

O ponto interessante aqui é que seu nome não diz muita coisa.  Quem o define é seu número pessoal.  Então qualquer pessoa pode ir ao skatteverket, onde está o registro civil, e mudar seu nome quando quiser, quantas vezes quiser e pro que quiser.  Parece simples, não?  E realmente é.

Claro que alguns podem argumentar que um sistema simples desse pode levar a um maior monitoramento de sua vida e atividades privadas.   Eu diria que sim.  Mas acho que benefício de ter um só número significativo pra tudo na sua vida compensa isso.  A menos que você seja um despachante.

Acessos: 691