image1 image2 image3 image4 image5 image6 image7 image8 image9 image10

O último dos Apaches

Na última edição da newsletter do site Netcraft, vi uma estatística sobre o uso do Apache webserver que me deu um frio na barriga. Assim como o clássico americano "o último dos moicanos", parece que estamos vivendo tempos de extinção também de projetos open sources.  

Não, o projeto Apache não está acabando.

webservers trends - feb. 2014

De acordo com as estatísticas de servidores web no ar, coletada mensalmente pela Netcraft desde quando eu soube o que era Internet (na verdade desde que eu soube o que era Linux), mostra que o uso do Apache nunca esteve num patamar tão baixo de uso.  Os dados se comparam com os de 1995!  Ou seja, depois de quase 20 anos reinando como o melhor webserver de todos, desbancando até os servidores proprietários da época como o da NCSA (era o Netscape?)  e da própria Sun, agora o Apache vê seu rival IIS pronto pra tirar seu pódio e se tornar o mais usado servidor web.

Parte da culpa disso, é claro, vem da adoção do cloud da Microsoft, o Azure.  Tem também a parcela de crescimento do "new kid on the block" do pedaço, o nginx.  Mas parece ser inevitável uma mudança no comportamento de uso dos servidores web, trocando o open source pelo proprietário.

As consequências podem ser as piores possíveis, indo da diminuição de contribuições ao projeto Apache, o que talvez leve a um total abandono de seu uso, até o risco da Microsoft enfiar algum serviço proprietário web, como um protocolo fechado, que só funcione em servidores IIS/Azure com browser Internet Explorer (vide protocolo do Exchange Server com o Outlook, o MAPI).  Esse risco sempre existe quando se trata de Microsoft, que não pensa duas vezes em criar barreiras de uso pra aprisionar ainda mais seus usuários.

Por outro lado mostra também que a grande maioria dos desenvolvedores estão migrando pra web.  E infelizmente trazendo as péssimas práticas que aprenderam nas escolas, aquelas que têm todo um parque de ferramentas e máquinas doados pela Microsoft.

É triste de ver...

2017  helio.loureiro.eng.br   globbersthemes joomla templates