Minha experiência de quase COVID na Suécia

Categoria: Suécia Publicado: Sexta, 05 Março 2021 Escrito por Helio Loureiro Imprimir

Com o spoiler to título, já sabem que não tive COVID.   Mas fiquei doente, bastante, e vou contar como funcionou o sistema de saúde sueco.

Tudo começou numa segunda-feira (tinha de ser coisa de segunda-feira mesmo), ao fim do dia.  Comecei a sentir aquela típica dor nas costas e calafrios de febre.   Não deu outra: 39°C de febre dali uma meia hora.   Como eu já tinha tido uma virose um tempo atrás, já sabia que o procedimento era aguardar pelos menos 2 dias antes de entrar em contato com o sistema de saúde.

Passado os 2 dias, nada da febre baixar, então procurei o sistema de saúde.  Se é uma emergência, o número é 112.  Do contrário, o número é o 1177.   É possível acessar o sistema de saúde por web também, através do https://1177.se, mas eu preferi por telefone.  Ao ser atendido, uma das opções é pra continuar em inglês.  Sei que existem suportes a outras línguas como árabe e eritréia (na verdade não sei como chamam a língua da Eritréia em português, que fica Eritrean em inglês).  Fiquei uns 2 minutos na espera até que alguém atendeu a ligação.  Conversamos sobre os sintomas e a pessoa disse que realmente poderia ser COVID.  Então eu teria de estar isolado em casa, o que já tinha feito desde o primeiro dia, e pedir o teste pra confirmar.   Pra eu não ter de decifrar como pedir o teste, foi enviado um SMS com o link direto pra eu fazer o pedido.  E fiz.

Eu tinha ligado no terceiro dia de manhã, mas o teste só foi entregue no dia seguinte, pois a fila de gente pedindo era grande.  Foi entregue em casa por um motorista de táxi.  Ele me telefonou antes de chegar avisando que estava a caminho.

O kit de teste era esse aqui:

Nada de muito sofisticado.  Um cotone, um prato descartável, uma cápsula pra conter o cotonete e saquinhos plásticos pra fechar tudo.  Minhas informações estava no QR-code borrado.  Veio tudo em sueco mas...

instruções em inglês no site.

Fiz a coleta, ligue de novo pro motorista e deixei a amostra do lado de fora da porta.

Nesse meio tempo segui apenas a recomendação que passaram: tomar algum remédio pra baixar a febre e não ficar o tempo todo na cama.  Doses de paracetamol deram conta do recado.

No mesmo dia em que fiz o exame eu já recebi o resultado.  Era umas 10 ou 11 horas da noite, mas veio por SMS.  Teste negativo.

Foi um grande alívio, mas mesmo assim passei 5 dias com febre.  Liguei no 1177 no dia seguinte e eles disseram que poderia mesmo ser uma gripe.  Mas em caso da febre continuar persistindo eu deveria buscar o posto de saúde próximo de casa pra buscar ajuda.  Não precisei.

Não houve nenhuma recomendação ou sugestão pra usar coisas como cloroquina ou ivermectina, remédios que fazem a cabeça dos brasileiros.  Apenas algo pra manter a febre baixa.  E beber bastante água.

Talvez no próximo post eu explique um pouco como funciona o sistema de postos de saúde aqui.

Acessos: 159