Escrito por Helio Loureiro
Categoria:

Em várias ocasiões, preciso de alguma automação via script que utilize um comando telnet. Existem vários problemas de segurança em relação ao uso do telnet, mas vários equipamentos de rede, entre switches e roteadores, fazem uso dele (se bem que é possível substituir por ssh).

 

Para usar em scripts, uma das formas mais fáceis de fazer isso é concatenando comandos. É possível fazer login, entrar com a senha, e enviar os comandos necessários.

Como exemplo, uma conexão telnet normalmente seria da seguinte forma:

  • Nome do servidor destino: server
  • Login: user
  • Senha: user
[helio@linux ~]$ telnet server 
Trying 10.10.7.4...
Connected to server.
Escape character is '^]'.
login: user
Password:
user@server> exit
logout
Connection to server closed by foreign host.

Agora no formato para scripts, utilizando o pipe:

[helio@linux ~]$ (echo "user"; sleep 1; echo "user"; sleep 1;echo "date"; sleep 1) | telnet server 
Trying 10.10.7.4...
Connected to server.
Escape character is '^]'.
login:
Password:
user@server>date
Thursday, July 29, 2010 8:11:52 PM BRT
user@server>
Connection to server closed by foreign host.

 

Cada comando echo envia para o telnet os comandos que seriam digitados. Utilizei um comando date como exemplo, mas é possível enviar outros comandos e até mesmo ler a saída do comando, redirecionando para um arquivo.

Escrito por Helio Loureiro
Categoria:

 Por motivos bizarros e nada claros para ninguém, resolveram fazer alguma "regra de segurança" na empresa para bloquear as máquina que não estejam rodando Windows Vista. Não que eu seja o único fora do padrão, mas existem os consultores externos que, assim como eu, são lembrados dessa limitação de tempos em tempos.

Como resolvi não perder mais tempo com isso, ou ficar bloqueado durante horário de trabalho sem aviso, e não migrar pro "Vista", resolvi fazer um script que altera meu MAC address da placa de rede a cada boot.

Fiz uma função em shell para poder ser utilizado em qualquer Unix, mas estou rodando em bash e não testei seu funcionamento em /bin/sh e /bin/ksh.

make_mac() { 
mac=""
for blk in 0 1 2 3 4 5
do
for id in 0 1
do
macid=`jot -r 1 0 15`
case $macid in
10) macid="a";;
11) macid="b";;
12) macid="c";;
13) macid="d";;
14) macid="e";;
15) macid="f";;
esac mac="$mac$macid"
done
mac="$mac:"
done
mac=`echo $mac | sed 's/:$//'`
if [ ! $mac ]; then
echo "Failed to generate MAC"
exit 1
else
echo "$mac"
fi
}

Para utilizar, basta fazer uma chamada como no código abaixo (já adaptado pra Linux e FreeBSD):

mymac=`make_mac` 
echo "Using MAC ADDR: $mymac"
case `uname -s` in
FreeBSD) INTF="bge0"
ifconfig $INTF lladdr $mymac ;;
Linux) INTF="eth0"
ifconfig $INTF hw ether $mymac ;;
*) echo "Operating System not supported"
exit 1
esac