Os artigos mais lidos

Quarta, Janeiro 30, 2013 Helio Loureiro Blog 19317
XGH é uma das coisas mais genias que surgiu nos últimos tempos, descrevendo a estupidez que se aplica em métodos ágeis, mas que reflete bem o ambiente corporativo. Infelizmente o site foi abandonado...
Sábado, Maio 03, 2008 Helio Loureiro FreeBSD 16582
This article is kindly linked by: http://tuxmobil.org/hp_compaq.html http://tuxmobil.org/mobile_bsd.html Barely finished my last article about FreeBSD (PRERELEASE at that time) on Compaq laptops,...
Quarta, Junho 11, 2014 Helio Loureiro Blog 16135
Nem só de discussões de licença, flamewares, releases de kernel e ativistas sapatênis vive o mundo do software livre. Às vezes é envolto de mistério também. Um dos enigmas recentes foi o sumiço da...
Sexta, Maio 20, 2005 Helio Loureiro Python 15689
Esse é o script usado para autenticar automaticamente no Speedy da Telefonica (região de São Paulo). Evita que usuários residenciais, como eu, precisem estar em frente à máquina, permitindo que a...

No dia 13 de janeiro de 2012 eu resolvi experimentar um desses roteadores wireless que são vendidos no Dealextreme.  O que mais me seduziu pra fazer isso foram dois fatores: preço (sempre barato) em torno de 70 reais e dizer que rodava o DD-WRT.

Então nessa data comprei o roteador WR3G01.

O roteador chegou exatamente dia 27 de junho do mesmo ano, praticamente 6 meses depois da compra.  A entrega no Brasil foi rápida, quem atrasou tudo foi a receita federal.  Mas não foi taxado já que a compra foi abaixo de 50 dólares.

Ao abrir o equipamento, foi uma grande decepção.  Não pelo hardware, mas pelo software.  É uma horrível interface escrita em pseudo-inglês com chinês.

E nada de carregar o DD-WRT ou Open-WRT facilmente, as versões alternativas de firmware de roteadores wireless que rodam puramente Linux.  Pra conseguir tal façanha é necessário soldar os pinos de E/S serial na placa, conectar com um módulo de porta serial RS-232, e então habilitar um carregamento de firmware por tftp.

O Dealextreme já vende um kit para fazer esse tipo de aventura, como o "RS232 Serial Port To TTL Converter Module w/ Transmitting and Receiving Indicator - Blue", mas isso está longe do que sonhei, que era simplesmente realizar um upgrade via web GUI e carregar um firmware alternativo, como é feito pelo TP-Link 1043.  Infelizmente na época da compra faltavam informações sobre isso.

Não existe interface de upgrade automática e somente uma informação de versão, que é 1.0.5.3.  Conectando via telnet, é possível verificar a informação de revisão também, que dá mais algumas pistas sobre o equipamento.

 

 

Sem nenhuma outra informação.  Buscando na Internet pelo número serial, modelo e versão de firmware, é possível encontrar referências como sendo um Widemac.  O site é tão informativo quanto horário político. 

O roteador tem acesso via telnet, mas as opções de comandos são extremamente limitadas:

Trying 192.168.0.1...
Connected to 192.168.0.1.
Escape character is '^]'.
Router login: admin
Password: 
Welcome to  Bococom Router Series
  For detailed information, please check:
        www.bococom.com


BusyBox v1.12.1 (2010-11-26 17:38:48 CST) built-in shell (msh)
Enter 'help' for a list of built-in commands.

# sh
Unknow command
# ls
Unknow command
# help

 ?                   ->Display help information.
 help                ->Display help information, same as '?' command.
 clear               ->Clear various talbes, type clear for help.
 ping                ->ping HOST, type ping for help.
 traceroute          ->route trace, type traceroute for help.
 ipmac               ->ip mac bind settings.
 quit                ->Close terminal session.
 show                ->Display various talbes information, type show for help.
 restart_httpd       ->Restart web server.
 restore_defaults    ->Restore the config to the default factory value.
 run_ated            ->Run ated for MS product.

O roteador funcionou pro básico que nada mais é que uma conexão WAN via DHCP com o Net Virtua, wireless interno com WPA2 e controle de acesso.  Mas falta coisas mais avançadas como suporte à IPv6.

Tem também uma porta USB que eu esperava conseguir usar no Linux como NAS, conectando um HD externo, mas não deu certo com o firmware que veio por padrão.

Reza a lenda que vem com suporte para modems 3G nessa porta USB, mas não me dei o trabalho de testar.